DICAS

PRINCIPAIS CUSTOS DO INTERCÂMBIO

Está pensando em estudar no exterior? Saiba o que deve ser considerado no planejamento financeiro!

Published

on

Quem pretende passar uma temporada estudando no exterior já sabe: calcular os custos e fazer um planejamento financeiro do intercâmbio está entre as etapas mais importantes do período que antecede a viagem.

Ainda que não seja possível padronizar os recursos necessários para esta experiência, já que fatores como alteração cambial, destino, tempo de permanência, perfil do estudante e até época do ano em que se pretende viajar podem influenciar o orçamento, há alguns custos fixos que são possíveis de prever. Confira abaixo os principais deles e comece agora a planejar a sua viagem!

GASTOS QUE ANTECEDEM O INTERCÂMBIO

Passaporte e vistos

O documento mais importante para quem viaja ao exterior é, com certeza, o primeiro custo que deve ser considerado na hora de planejar o seu intercâmbio. Emitido pela Polícia Federal em um processo que pode levar até 90 dias* (desde o cadastramento no site da PF até a retirada do documento), o passaporte tem validade de dez anos e custa R$ 257,25* para ser emitido.

Dependendo do destino do seu intercâmbio, também será necessário reservar uma quantia para a emissão do visto – cujo valor varia de país para país. Nos Canadá, por exemplo, o visto de estudante gira em torno de CAD 150. Já o visto americano de estudante custa em média USD 360***, divididos entre o pagamento de USD160*** da taxa MRV (para a solicitação do visto americano) e USD 200*** da taxa SEVIS (Student and Exchange Visitor Information System).

Vale lembrar que os preços relacionados à emissão dos vistos são aproximados e podem sofrer alterações a qualquer momento. Além disso, devido à pandemia, a emissão de vistos para diversos destinos está temporariamente congelada para brasileiros. Para conhecer os valores exatos de cada destino e as regras e procedimentos necessários para consegui-los, fale com um especialista STB.

*Considerando o período pré-pandemia. Valores consultados em 6/05/21, podendo sofrer reajustes conforme diretrizes dos consulados dos respectivos países.

Passagem aérea   

Depois dos gastos com a documentação, o próximo passo é a compra das passagens aéreas, tanto de ida quanto de volta.

Para isso, é preciso ter em mente que quanto mais perto da data de embarque, maiores serão os preços das passagens. A dica é começar a pesquisar com bastante antecedência, principalmente se a sua viagem está programada para acontecer durante a alta temporada, quando os valores tendem a subir ainda mais.

Escola e acomodação

É difícil estimar um valor específico quando se trata do curso, pois o preço final está atrelado a inúmeros fatores, como o destino, a escola, ao tipo de curso e a carga horária escolhida. Da mesma maneira, os gastos com moradia no intercâmbio podem variar bastante dependendo da cidade e do tipo de acomodação escolhida pelo estudante.

Quem opta pela casa de família, por exemplo, pode contar com café da manhã e jantar inclusos no pacote, o que representa uma economia significativa em comparação a se hospedar em residências estudantis, onde é preciso arcar com os custos de todas as refeições. Por outro lado, diferentemente das casas de família, este tipo de acomodação costuma estar localizado em regiões mais próximas à escola, poupando os estudantes que se hospedam ali de gastos extras com transporte e deslocamento.

Por isso, pesquise bastante e não hesite em entrar em contato com nossos especialistas para tirar dúvidas e encontrar a acomodação que melhor se adeque às suas necessidades, perfil e orçamento.

Seguro–viagem internacional

Os custos com emergências médicas internacionais podem ser bastante significativos e, por isso, é importante contar sempre com um seguro de saúde na hora de viajar. E se a contratação do serviço já é importante para aqueles que irão passar apenas alguns dias fora do país, para quem pretende fazer um intercâmbio ela é essencial.

“O seguro-viagem é indispensável para qualquer viagem ao exterior, seja ela de curta ou longa duração. A segurança e a tranquilidade que ele pode oferecer são enormes perto de um investimento tão baixo”, afirma Rui Pimenta, diretor do STB, que trabalha com o EASY SEGURO-VIAGEM. Desenvolvido em parceria com a OMINT,  o EASY oferece planos variados, capazes de atender às necessidades de diferentes perfis de viajantes.   

Transfer

Indicado para qualquer pessoa que deseja ter conforto e segurança ao chegar ou sair do aeroporto, o transfer é obrigatório para estudantes menores de idade em alguns destinos e escolas e, por isso, também deve constar no seu planejamento financeiro.

Os valores podem variar bastante de acordo com a cidade, moeda local, trajeto e também do tipo de transfer (individual ou compartilhado) contratado.

GASTOS DURANTE O INTERCÂMBIO

Agora, chegou a hora de considerar os custos fixos que você terá no dia a dia do seu intercâmbio, como alimentação, viagens, passeios e transporte, por exemplo. 

Alimentação

De maneira geral, é recomendado reservar, no mínimo, 35 da moeda local por dia para gastos com as refeições. Mas esse valor pode diminuir caso a acomodação escolhida tenha refeições inclusas.

Transporte

Para ter uma estimativa mais assertiva em relação a esta despesa é importante se informar sobre a distância entre a escola e a acomodação e sobre os tipos de transportes públicos disponíveis na cidade. Mas, de maneira geral, os especialistas indicam reservar pelo menos 70 reais da moeda local por mês para o deslocamento durante o intercâmbio.

Além disso, aproveite os primeiros dias da sua viagem para se informar a respeito de descontos em passagens para estudantes e sobre os bilhetes diários, semanais ou mensais – que costumam compensar no preço em relação à passagem unitária.

Passeios e entretenimento

Também é importante separar uma parte do seu orçamento para gastos menos previsíveis (mas igualmente importantes), como passeios, compras e eventuais viagens, por exemplo. Isso porque durante o seu tempo livre, você terá a oportunidade de explorar cada cantinho da cidade, incluindo seus museus, galerias, feiras, mercados, lojas e festivais*.

Além disso, as próprias escolas costumam organizar viagens em grupo para conhecer cidades (ou países, quando viável) vizinhas aos finais de semana. Para ter uma ideia de quanto dinheiro reservar para este tipo de passeio, consulte o site da escola em que você estudará.

Outra dica imperdível é fazer a sua Carteira do Estudante ISIC, que garante benefícios e descontos exclusivos para estudantes em diversos países pelo mundo. Saiba mais no site da ISIC.

*De acordo com as medidas de segurança adotadas por cada país como prevenção ao Covid-19. 

COMO ORGANIZAR AS FINANÇAS DURANTE O INTERCÂMBIO? 

Saber controlar suas finanças faz parte do aprendizado do intercâmbio. E agora que você já tem uma ideia aproximada de quais serão os seus custos-fixos, chegou a hora de decidir como levar e administrar este dinheiro quando estiver no exterior.

O mais indicado é levar uma pequena quantia em espécie e dividir o restante entre cartão de crédito (para eventuais emergências) e débito.

Agora que você já sabe os custos fixos que deve considerar para um intercâmbio, que tal começar a planejar a sua experiência no exterior? Fale agora com um de nossos especialistas!

Continue Reading
Click to comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *