a-melhor-experiencia-de-viagem-970x300_semtxt.jpg

Planejar uma viagem é simples, o extraordinário é construir experiências!

Por que fazer o intercâmbio em Malta?

O que acha de estudar em uma ilha paradisíaca no meio do Mar Mediterrâneo (e suas águas azuis)?   Neste guia, contamos tudo o que você precisa saber para fazer um intercâmbio em Malta e aprimorar o inglês em um dos lugares mais bonitos da Europa. As informações são do Tripbox, aplicativo de viagem desenvolvido pelo STB.

Por que fazer um intercâmbio em Malta?

Barcos parados na costa de Marsaxlokk em Malta

Malta faz parte da Europa, mas é totalmente diferente de tudo o que você imagina quando pensa no Velho Continente. Sua história é tão rica que há registros de civilização de aproximadamente sete mil anos, além de templos religiosos - que você pode visitar - mais antigos que as pirâmides do Egito! Depois disso, a ilhota ainda esteve nas mãos dos fenícios, cartagineses, romanos e bizantinos. Em seguida, os árabes chegaram e contribuíram com o idioma maltês, que tem forte influência deste povo. Por último vieram os britânicos, que também instauraram o inglês como idioma oficial, além de outras particularidades da Terra da Rainha.

Nas três ilhas que compõem o país (Malta, Gozo e Comino), você vai encontrar praias lindíssimas, parques, trilhas e belezas naturais únicas. Além disso, a cultura maltesa é vibrante, desde a culinária exótica às danças folclóricas, passando por festas religiosas e celebrações nas entradas das estações. Impossível não se apaixonar!

Melhor época para ir a Malta

Com mais de nove meses de calor em Malta, a garantia de sol e praia é praticamente certa em seu intercâmbio. No verão, principalmente em julho e agosto, a ilha recebe uma quantidade imensa de turistas, fazendo com que os hotéis, restaurantes, ônibus e passeios turísticos fiquem bem lotados. Portanto, para ter mais comodidade, evite estes dois meses.  

O ideal é visitar Malta entre março e junho e setembro e novembro - ou seja, na primavera e início do outono -, pois as temperaturas normalmente ficam acima dos 20°C e os lugares acabam ficando menos lotados.  

Vale destacar também que em dezembro, janeiro e fevereiro faz frio em Malta. A intensidade é menor em relação a outros países da Europa, mas a região tem muito vento e garoas constantes, e muitos brasileiros se incomodam com as chuvas de janeiro e fevereiro.

Informações úteis de Malta

Vista aérea de Valletta, capital de Malta

Telefone de Emergência: 112 
Código DDI: 356 
Código DDD: Malta não usa códigos para cidades
Fuso Horário: de +3 a +5 horas em relação à Brasília, dependendo do horário de verão 
Temperatura: no verão, entre 22°C a 32°C. No inverno, de 9°C a 17°C. 
Voltagem: 230V 
Moeda: euro

O que fazer em Malta?

Blue Lagoon na ilha de Comino, em Malta

Há muita coisa para fazer em Malta. As três ilhas que formam o país contêm atrações indispensáveis para qualquer turista e merecem ser igualmente visitadas. Durante o seu intercâmbio em Malta, você vai ficar hospedado na ilha principal, homônima, que é onde a imensa maioria da população mora e onde ficam as instituições de ensino.

Para começar bem seu tour, o ideal é conhecer logo de início a menor capital da União Europeia, Valletta. Esta região é o centro comercial maltês, repleta de lojas, restaurantes, museus, ruas históricas e belos jardins.  Aproveite para acompanhar os disparos dos canhões pertinho dos Barrakka Gardens, que ocorrem diariamente às 12h e 16h. E prepare-se para andar o dia inteiro.

Se a atual capital é dinâmica e movimenta, a antiga capital (até 1530), Mdina, é uma paz só, mas ainda assim muito interessante. Ela é conhecida como a “Cidade Silenciosa”, já que a entrada de carros é proibida. Por isso, você se sentirá em outra época ao passear pelas ruas apertadas e construções medievais.

A arquitetura maltesa já é de encher os olhos, mas são suas belezas naturais que tornam o lugar inesquecível. Em Blue Grotto você passeia de barco dentro de um conjunto de seis cavernas sobre uma água de azul fosforescente, daquelas de filme. Os cliffs de Dingli ficam no ponto mais alto do país e proporcionam uma vista excepcional, com a imensidão do Mar Mediterrâneo à frente e o melhor pôr do sol da ilha. Plus: é totalmente fora da rota turística!

As praias de areia fofa não podem ficar de lado, já que estão entre as principais atrações. Os destaques são as vizinhas Golden Bay (popular) e Għajn Tuffieħa (menor e mais legal), além da isolada Paradise Bay.

A ilha de Gozo é conhecida como a irmã mais nova e mais bonita de Malta. Nela estão localizados os templos de Ġgantija foram erguidos no período neolítico, entre 3.600 e 3.200 anos a.C., e são mais antigos que as pirâmides do Egito. Engana-se quem pensa que é um passeio boring. Se você gosta de história, aqui é o seu lugar.

Por fim, a minúscula ilha de Comino atrai os visitantes por causa da sua Blue Lagoon. Nela, é possível nadar nas águas quase transparentes do local, fazer passeios de barco, alugar um snorkel ou apenas curtir a praia.

Para saber mais sobre os pontos turísticos de Malta e também descobrir dicas insiders sobre o que fazer em Malta, baixe o aplicativo Tripbox STB. Todas as informações deste post e muito mais estão disponíveis lá, gratuitamente. Encontre na App Store e no Google Play!

Como dar gorjeta em Malta

Gorjeta de Malta em euros

É normal dar gorjetas em Malta, geralmente entre 5% e 10% do total da conta. Repare quando o estabelecimento adiciona automaticamente o serviço na hora da cobrança – nesses casos, não há necessidade de deixar uma gorjeta extra. Para carregadores ou porteiros é educado dar de € 1 a € 3. Em bares, a gorjeta só é necessária caso alguém tenha anotado seu pedido e vale a porcentagem média.

Onde ficar em Malta

Vista da costa de Sliema, em Malta

Apesar de Valletta ser a capital e ter diversos hotéis, a maioria dos estudantes não se hospeda nesta região. Ela costuma receber turistas que vão ao país para passar um fim de semana ou que desembarcam no porto por meio dos diversos cruzeiros que passam por ali.

A região mais procurada por jovens e estudantes é St. Julian’s, por vários motivos: faz parte de uma área nobre e moderna de Malta; tem ótima qualidade de vida; é repleta de bares, baladas e shoppings; e abriga boa parte das instituições de ensino. Como é de se esperar, as hospedagens por aqui têm um preço mais elevado, mas conta com o conforto de ter tudo por perto.

Quem não tem um estilo de vida tão agitado pode optar por Sliema, vizinha de St. Julian’s. Lá também é um ótimo lugar para viver, com tudo por perto, porém menos agitado (menos, mas ainda com boas opções de vida noturna). Os preços, contudo, se assemelham.

Um pouco além de Sliema fica a região de Gżira, conhecida pela diversidade cultural de seus habitantes (além de malteses, árabes, turcos e outros estrangeiros moram por lá) e pelos preços mais em conta nas hospedagens. É uma excelente alternativa para quem está com um orçamento apertado, mas não abre mão de ficar perto de onde tudo acontece.

É importante lembrar que dá para se deslocar a pé entre essas três regiões. As cidades de Malta são pequenas, normalmente menores que os bairros das metrópoles brasileiras. Pela orla, em pouco mais de 20 minutos de caminhada, você sai de Gżira e chega a St. Julian’s, passando por Sliema. Por dentro, é bem mais rápido. Para ir a Valletta é necessário pegar um ônibus, cujo trajeto também demora aproximadamente 20 minutos.

Transporte público em Malta

Antigo ônibus de Malta

O transporte público em Malta é todo feito por meio de ônibus. Quase todas as linhas operam das 5h30 às 23h. Há um total de 80 rotas e você pode ver todas, com horários, no site www.publictransport.com.mt. A numeração dos ônibus segue a lógica: 1-99 passam necessariamente pelo terminal da capital Valletta. As rotas com um “X” antecedendo o número são expressas para o aeroporto. Os ônibus numerados entre 100-200 são linhas locais que não servem Valletta e os que prestam serviço em Gozo são numerados a partir do número 300. Há ainda as linhas noturnas, sempre antecedidas por um “N”. 

Quem visita Malta tem três opções: comprar bilhetes unitários diretamente com o motorista em dinheiro (inverno: €1,50 e verão €2), adquirir um bilhete de 12 passes (€15) ou um cartão válido por sete dias com viagens ilimitadas (€21). Residentes e estudantes são encorajados a obterem o tallinja, cartão magnético com versões mensais.

Importante: os malteses não adotaram a pontualidade britânica quando o quesito é transporte público. Em algumas situações, é preciso ter um pouco de paciência com os atrasos dos ônibus. 

Onde comer em Malta?

Vista do restaurante Fontanella, em Mdina, Malta

A enorme influência estrangeira que o país recebeu durante toda a sua história moldou uma gastronomia eclética e diversificada, porém única. Os pratos mediterrâneos com tempero árabe ganham um toque especial da Itália e acompanham frutos do mar sempre fresquinhos.

Falando em comida fresca, o melhor lugar para achá-la é no mercado de peixes de Marsaxlokk, que ocorre todo domingo bem cedo. Além de adquirir os produtos para cozinhar em casa, você pode passear por essa adorável vila de pescadores, conhecida por seus barcos de pesca coloridos que ficam parados na costa. Se não quiser colocar a mão na massa (ou nos peixes), faça sua refeição em um dos restaurantes locais, sempre repletos de turistas.  

Também é possível apreciar os pratos típicos de Malta. No Oleander, em Gozo, você pode provar ouriço do mar, codornas desossadas, o tradicional guisado de coelho e muitos outros pratos feitos pela própria família, dona do restaurante.

O Girasole é um dos restaurantes mais concorridos da região de St. Julian’s. Motivo: além da deliciosa comida mediterrânea, seu terraço proporciona uma visão panorâmica de Spinola Bay! Ao lado dele, o Raffael e o San Giuliano são da mesma rede e também merecem uma visita. Para comer bem e curtir a vista. 

Se estiver em St. Julian’s e bater uma saudade de casa, o Buteco Lounge é uma ótima opção de bar brasileiro em Malta. Ele tem tudo que adoramos, como coxinha, pastel, arroz, feijão, picanha, feijoada e até caipirinha. Tudo isso acompanhado de trilha sonora brasileira, shows ao vivo e, claro, toda a nossa simpatia.

Em meio às andanças e compras em Valletta, há um lugar especial que merece ser visitado. O Caffe Cordina foi inaugurado em 1837 e é um clássico da região. Hoje em dia, o estabelecimento abriga um restaurante, sala de chás, pâtisserie e até gelateria.

Agora, quando o assunto é sobremesa, o Fontanella Tea Garden é unanimidade. Localizado em Mdina, este lugar serve os melhores bolos e tortas da ilha. Para completar, a vista de seu terraço é uma das mais belas que você vai encontrar.

Onde fazer compras em Malta?

Feira no centro de Valletta, capital de Malta

Malta não é um destino conhecido por boas ofertas de compras, como os Estados Unidos e alguns lugares da Europa. Mas ainda assim, se garimpar bem é possível encontrar oportunidades interessantes.

O melhor lugar para fazer compras em Malta é a capital Valletta. Em suas ruas movimentadas há todos os tipos de estabelecimentos comerciais, desde lojinhas de souvenires e artesanatos, até redes de marca. O local é perfeito para aproveitar um dia inteiro, mesclando o passeio entre as lojas, restaurantes, cafés e jardins.

O The Point, em Sliema, é o maior shopping de Malta. Nele, você encontra as principais marcas mundiais, como Nike, Adidas, Calvin Klein, Tommy Hilfiger, Lacoste, entre outras. Como é de se esperar, os preços por aqui são mais elevados.

Apesar de ficar afastada da rota turística, a Ta’Qali Crafts Village é um ótimo lugar para comprar peças únicas, feitas à mão, e acompanhar os artistas durante o processo criativo. Nessa vila, além dos artesanatos mais originais de Malta, você assiste todo o trabalho com vidro, ferro e cerâmica.

O que fazer à noite em Malta

Balada à beira-mar em Malta

O primeiro lugar que vem à cabeça quando o assunto é vida noturna em Malta é a região de Paceville, em St. Julian’s. A área é repleta de bares, pubs, baladas, restaurantes, boliches, tudo ao lado do outro ao longo das ruas que só passam pedestres. Tem até cassino lá perto! E o mais legal é que a maioria das baladas tem acesso gratuito, possibilitando o visitante a entrar em mais de uma na mesma noite.

Se a sua vibe for um pouco diferente da música eletrônica incessante de Paceville, o Bridge Bar Valletta recebe aos finais de semana sessões de jazz tão interessantes que faltam almofadas para sentar nas escadarias ao redor. Artistas locais e internacionais animam a noite, acompanhada de vinho maltês e comidas de bar.

O Café del Mar é uma balada sofisticada, um pouco afastada do burburinho de Paceville. Durante o dia, o local é clube e restaurante, mas um pouco antes do pôr do sol (que é lindo visto de lá) o DJ já começa a tocar. Daí por diante, a noite segue com muita música eletrônica. E o melhor de tudo: a pista fica ao lado da piscina de borda infinita, voltada para a água turquesa do Mar Mediterrâneo.

Curiosidades sobre Malta

Telefone público e prédios ao fundo em Valletta, Malta

  1. Não se iluda: a colonização inglesa (até 1964) e a proximidade com a Itália não apagaram a originalidade de Malta. O país carrega uma história milenar, com direito a culinária específica para as épocas do ano, famosos artesanatos e língua própria – além do inglês, o maltês também é o idioma oficial do país. 
  2. Vá além do pastizzi: essa comida de rua merece uma chance, mas não pare nela. A culinária maltesa é recheada de pratos exóticos, de carne de coelho a diversos frutos do mar (como o estufado de polvo).
  3. A coroa inglesa passou por aqui e deixou sua marca nas ruas. Além das tradicionais cabines telefônicas vermelhas, os malteses seguem a lógica britânica de dirigir pela esquerda.
  4. Sol nem sempre significa calor! A ilha realmente tem quase 300 dias ensolarados por ano, mas continua tendo as quatro estações. Por isso, carregue sempre um casaco durante as estações mais frias. Além disso, no inverno o vento forte faz a sensação térmica diminuir ainda mais.
  5. As praias de Malta já são conhecidas por todo o mundo, mas o que nem todos os viajantes exploram são suas áreas verdes. Há uma grande variedade de flora e fauna na ilha, que merecem sim ser explorados. Aproveite! 

Custo de vida em Malta

 

Preço da refeição em Miami

Refeição em restaurante estudantil: € 12,50 

Preço do lanche em Miami

Mc Meal ou combo equivalente no McDonald’s: € 7,50

Preço do refrigerante em Miami

Coca-Cola (300 ml): € 1,50 

Preço do pão em Miami

1 baguete de pão: € 0,92

Preço do onibus em Miami

Ticket de ônibus (ida ou volta): inverno € 1,50/ verão € 2 

Preço do taxi em Miami

Táxi (bandeirada): € 10 

 

Quer fazer um intercâmbio em Malta?

Popeye Village

E então, o que acha de viver em um lugar único, paradisíaco e cheio de cultura em pleno coração do Mar Mediterrâneo? Programe seu intercâmbio em Malta com o STB, que oferece cursos de inglês em diversas escolas, e ainda aproveite as dicas do nosso aplicativo de viagem, o Tripbox STB.

 

 


SAIBA COMO PLANEJAR   O SEU INTERCÂMBIO

Tripbox STB

Tripbox STB

O Tripbox é um app de viagem criado pelo STB para viajantes, com organizador de compromissos, porta-documentos e dicas insiders das principais cidades do mundo. O aplicativo conta com uma equipe de jornalistas curiosos, nerds, inquietos e apaixonados por viagem que trabalha intensamente para oferecer o melhor aos viajantes. Quer saber mais? Baixe o aplicativo na App Store ou no Google Play. É grátis ;)

Deixe uma resposta

BUSCAR RESULTADOS PARA: