Escolas Americanas e Brasileiras. Qual é a Diferença no ensino?

Aulas extracurriculares como música, culinária, teatro e fotografia, atividades esportivas e  liberdade para poder escolher matérias como design de interiores e marketing, por exemplo.

Já pensou em ter um ensino médio assim? Reconhecidas por sua educação de qualidade, as escolas do sistema de ensino americano são grandes incentivadoras da liberdade acadêmica, o que permite que os alunos possam descobrir talentos e novas habilidades durante o período de High School.

As escolas americanas têm inúmeras diferenças em relação ao sistema de ensino no Brasil. Da flexibilidade da grade curricular à carga horária das aulas, inúmeras questões podem confundir o estudante brasileiro que está pensando em iniciar seus estudos no exterior fazendo High School nos Estados Unidos.

Escolas americanas são mais flexíveis

Com as mudanças do novo ensino médio brasileiro, o sistema de ensino do país tende a ficar mais parecido com o High School dos Estados Unidos, que é reconhecido pelo caráter dinâmico da grade curricular e flexibilidade do ensino.

Isso porque o sistema de ensino americano privilegia a vivência do aprendizado e incentiva o estudante a refletir sobre como as suas escolhas escolares podem fazer a diferença no futuro.

Menina uniformizada segura bola de futebol em campo de escola americana

O sistema educacional dos Estados Unidos permite, por exemplo, que o aluno escolha o que quer cursar a cada semestre do High School. Nesse caso, o foco é o interesse pessoal e acadêmico do aluno.

As possibilidades podem variar de acordo com as regras de educação de cada escola e estado, mas na maioria dos colégios americanos são obrigatórias apenas três matérias teóricas: matemática, inglês e história

Enquanto o antigo ensino médio brasileiro contava com 13 matérias teóricas obrigatórias, o currículo acadêmico americano é composto por disciplinas eletivas com apelo mais vocacional, como mecânica, carpintaria e marketing.

Além disso, alunos do High School nos Estados Unidos têm a oportunidade de complementar a sua formação com diversas atividades e clubes oferecidos fora da sala de aula, onde podem se preparar desde cedo para uma carreira de sucesso.

Alunos durante aula de mecânica nos Estados Unidos

Algumas escolas dos Estados Unidos também contam com um sistema de divisão das matérias do High School de acordo com o nível de aprendizado desejado pelo estudante, sendo o CP (College Prep) o mais leve, Honors o intermediário e o AP (Advanced Placement) o mais avançado.

É comum, por exemplo, que escolas públicas ou particulares preparatórias (chamadas de Prep Schools) ofereçam um número expressivo de matérias APs específicas para os estudantes que buscam se preparar para fazer exames oficiais ao final do curso e conquistar uma colocação em uma universidade nos Estados Unidos.

 A notas das escolas americanas

Ao escolher fazer um High School nos Estados Unidos, o estudante brasileiro passa a ser avaliado da mesma maneira que um estudante americano. Mas como funcionam a avaliação e as notas nas escolas dos Estados Unidos?

Se no Brasil a avaliação é feita por meio de notas de 0 a 10, nos Estados Unidos, a maioria das escolas avalia os alunos utilizando uma escala de letras que vai de A até F.

Como acontece em muitas instituições brasileiras, por lá a nota final do aluno é composta também por trabalhos, presença e participação em sala de aula, testes e projetos.

Tabela do método de avaliação americano

Sistema de ensino americano, crédito acadêmico

Uma das principais diferenças, no entanto, é o sistema de créditos acadêmicos. Para se formar em uma escola americana, além de contar com uma pontuação mínima em nota, o aluno deve cursar uma quantidade média de créditos por semestre, sendo que cada matéria equivale a um número de créditos.

Cada estado americano pode definir as matérias ou número de créditos necessários para conseguir o diploma de High School.

Porém, no caso de estudantes brasileiros, é fundamental checar com a escola no Brasil quais matérias serão necessárias cursar nos Estados Unidos para que o curso seja reconhecido e validado no retorno ao país.

Perco o ano escolar no Brasil fazendo ensino médio no exterior?

A ida para um intercâmbio não causa a perda do ano escolar no Brasil. No entanto, é necessário que o estudante se saia bem no curso para conseguir validar o seu período de estudos no exterior.

Não frequentar as aulas e não passar nas matérias pode, sim, causar a perda do ano por conta de desempenho acadêmico.

Equivalência entre séries e ano letivo

O ensino médio americano tem um total de quatro anos de duração (9ª, 10ª, 11ª e 12ª séries). Neste modelo, as turmas de estudantes são divididas em categorias:

  • freshman: alunos do primeiro ano do High School,
  • sophomore: Alunos do segundo ano,
  • junior: Alunos do terceiro ano 
  • senior: Alunos os veteranos do último ano da escola.

As aulas também são divididas em períodos, sendo que cada um deles pode ter de 30 minutos a 1h30 de duração.

Os alunos do ensino médio americano também não têm a opção de escolher se querem estudar de manhã, de tarde ou à noite: as aulas são sempre em período integral, com pausa para o almoço.

Confira: dicas de estudantes brasileiros para adaptação no ensino médio nos EUA

Outra grande diferença das escolas americanas é em relação ao início e final do ano letivo. Por lá e em todo o hemisfério norte, as aulas começam no segundo semestre, entre os meses de julho e setembro, e só terminam por volta de maio, quando iniciam as férias de verão, com aproximadamente 2 meses de duração.

Dessa forma, um aluno brasileiro que for começar seu High School em agosto e já tiver cursado o primeiro semestre do segundo ano do ensino médio cairá, na maioria das vezes, no início do segundo ano nos Estados Unidos.  

Por isso, falar com a escola brasileira e deixar tudo acordado antes de sair do país é essencial.

Além das férias, os estudantes nos Estados Unidos têm ainda pausas pontuais, como no feriado de Thanksgiving, no Spring Break (as famosas folgas na primavera) e nas festas de fim de ano, que podem variar de uma até 3 semanas de duração.

STB

STB

Fundado em 1971, o STB Student Travel Bureau é líder no segmento de educação internacional no Brasil, oferecendo as opções certas para cada fase da sua vida. Quem você quer ser? Conte-nos onde quer chegar e nós traçamos o caminho.

Deixe um comentário

BUSCAR RESULTADOS PARA: