DESTINOS

FACULDADE NOS EUA: PRINCIPAIS TIPOS DE ENTRADA

O processo seletivo das faculdades americanas pode assustar alunos brasileiros, mas pode ser mais simples do que parece. Veja dicas!

Published

on

Está sem tempo para ler? Aperte o play abaixo e saiba tudo sobre faculdade nos Estados Unidos em áudio:

Muita gente considera um sonho fazer a faculdade nos Estados Unidos. No entanto, ainda há quem acredite que o processo de admissão é complexo demais e nem se arrisca saber mais sobre as opções incríveis para alunos brasileiros.

A boa notícia é que, atualmente, existem diversas possibilidades que facilitam a entrada nas universidades americanas – uma delas, inclusive, foi desenvolvida exclusivamente para estudantes internacionais.  Está pensando em fazer faculdade nos Estados Unidos? Então, esse post é para você!

Faculdade nos EUA: Processo seletivo holístico  

O processo de admissão nas universidades dos Estados Unidos é muito mais abrangente do que o vestibular brasileiro, o que pode gerar inúmeras dúvidas em quem está interessado em se candidatar para uma vaga.

A avaliação é holística, com o objetivo de analisar o perfil do aluno por completo: histórico escolar, cartas de recomendação, redações, atividades extracurriculares e até entrevistas podem fazer parte do processo seletivo.

Esses critérios podem ser mais ou menos abrangentes, dependendo do tipo de entrada para qual o estudante internacional pretende aplicar, e também variar de acordo com o grau de competitividade da instituição de ensino.  As principais formas de entrada para a faculdade nos Estados Unidos são:

ENTRADA DIRETA

É o processo tradicional de entrada nas universidades americanas, pelo qual a maioria dos estudantes americanos e internacionais são submetidos.

Além de ser a mais exigente, é o tipo de avaliação que mais valoriza o perfil do aluno. Desempenho acadêmico nos últimos quatro anos da escola, resultados em provas de conhecimento geral como SAT (Scholastic Assessment Test) e ACT (American College Test), comprovação de proficiência em inglês, atividades extracurriculares, além de cartas de recomendação e redações compõem as habilidades necessárias para que o aluno seja aprovado.

Ao reunir toda esta documentação, o aluno deve submetê-la às universidades para qual pretende se candidatar. Não existe limite de candidaturas por aluno nos Estados Unidos, então, a maioria mira em uma seleção abrangente de universidades que correspondem ao seu perfil e objetivos acadêmicos. Algumas são mais seletivas e exigentes na avaliação (chamadas “Reach/Dream Schools”) e outras que são menos exigentes.

As universidades, geralmente, levam alguns meses para responder ao aluno, com a aceitação ou rejeição da candidatura. Com a aceitação formal, o estudante tem de se matricular na instituição de ensino escolhida, da mesma forma que acontece no Brasil, após a aprovação no vestibular.

Esse processo é feito diretamente com a faculdade pretendida, mas é interessante que os estudantes procurem a ajuda de um especialista para orientá-los quanto aos prazos e documentos necessários para aplicação, de modo que consigam o melhor resultado possível.

VOCÊ PODE GOSTAR: COMO É A CONSULTORIA PARA ENTRAR EM FACULDADES NO EXTERIOR? 

Os cursos preparatórios para exames também podem ser um auxílio excelente para quem pretende atingir melhores resultados na aplicação para uma universidade nos Estados Unidos.

SAIBA MAIS: CURSOS PREPARATÓRIOS PARA TESTES DE PROFICIÊNCIA

Além de praticar o inglês de maneira intensiva, esses cursos ajudam a pontuar melhor nos exames de proficiência, obrigatórios para a entrada na maioria das instituições de ensino internacionais.

É ideal o aluno se familiarizar com o estilo da prova, já que muitos perdem pontos não só pela falta de conhecimento do conteúdo, mas por se atrapalhar com o tempo de duração da avaliação.

PRIMEIRO ANO INTERNACIONAL

O Primeiro Ano Internacional foi desenvolvido para alunos internacionais que desejam estudar em uma universidade americana, mas ainda não preenchem todos os requisitos para a entrada direta.

Trata-se de um processo simplificado que permite ao estudante estrangeiro entrar na universidade nos Estados Unidos sem que precise apresentar os atributos de um processo de aplicação tradicional.

“Muitas vezes, estudantes brasileiros que estudaram a vida inteira em escolas com alto nível de desempenho acadêmico não conseguem atingir todos os pré-requisitos da universidades americanas porque não investiram em seu currículo geral durante o ensino médio. O foco do ensino médio no Brasil é, tradicionalmente, o vestibular e o ENEM, que faz com que muitos estudantes acabem deixando de lado os outros pontos importantes nas candidaturas para os EUA, como atividades extracurriculares e a preparação para testes de proficiência”, diz Carlos Eduardo Madeira, gerente de Higher Education do STB.

Durante o Primeiro Ano Internacional, o estudante irá se preparar para o sucesso na vida acadêmica no exterior ao mesmo tempo em que investe em um período de adaptação personalizado para alunos estrangeiros, com direito a aconselhamento acadêmico e avaliação periódica do seu progresso.

Neste primeiro ano, cursará matérias do General Education, que serão utilizadas como créditos ao decorrer do curso, além de já estarem inseridos no ambiente universitário. Ao finalizar o período estabelecido pela instituição com boas notas, o aluno progride diretamente para o segundo ano do curso.

COMMUNITY COLLEGE

São instituições americanas de origem pública que visam apenas o ensino dos dois primeiros anos de graduação, resultando em um Associete Degree. Ao concluir o curso, o aluno tem a opção de dar sequência aos estudos com uma transferência para uma universidade, onde poderá terminar bacharelado.

A maioria das Community Colleges têm acordo de transferência preestabelecido com as universidades públicas dos Estados Unidos. No entanto, para garantir a transferência, é necessário que o aluno atinja todos os requisitos acadêmicos da universidade durante os dois anos de estudo.

Entre os benefícios de iniciar o ensino superior em um Community College está o fato de os critérios de admissão serem menos rigorosos, além do custo ser mais acessível, permitindo que o estudante tenha mais dinheiro para investir nos próximos anos de sua formação.

SAIBA MAIS SOBRE:  COMMUNITY COLLEGE

Agora que você sabe mais sobre as diferentes formas de entrada nas universidades dos Estados Unidos, fale com um especialista em intercâmbio e comece a programar a sua viagem!

Continue Reading
Click to comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *