China.jpg

Três destinos de estudo na Ásia: Japão, China e Coreia Do Sul

Por Team Hotcourses Brasil **

A Ásia é o maior continente do mundo e também o berço de algumas das civilizações mais antigas da humanidade. De invernos com nevascas a verões escaldantes, de desertos a florestas tropicais e arquipélagos, de Mumbai a Xangai, a Ásia é recheada de história, cultura e diversidade por todos os cantos.

Outro grande destaque do continente é a qualidade da educação de vários de seus países. Segundo o ranking das melhores universidades do mundo da Times Higher Education, realizado em 2016, a 24ª e a 29ª melhores universidades do mundo são a National University of Singapore, de Singapura, e a Peking University, da China. Outras instituições aparecem no top 100, como a University of Tokyo, University of Hong Kong, Hong Kong University of Science and Technology, Nanyang Technological University, Seoul National University e Chinese University of Hong Kong.

Além disso, o continente tem produzido as melhores universidades “mais jovens” do mundo, de acordo com o ranking “150 Under 50”, também da Times Higher Education, que lista as 150 melhores instituições de ensino superior com menos de 50 anos. Em 2016, três entre as cinco universidades mais jovens do mundo eram asiáticas. Por isso, especialistas da área discutem a possibilidade de instituições orientais conquistarem as principais posições como potências acadêmicas internacionais, ainda predominadas pelos Estados Unidos e Reino Unido.

São inúmeras as razões para optar por um país da Ásia como destino de estudo no exterior. Uma delas é fugir do comum e ir além dos países mais populares. A outra é que o valor dos estudos pode sair significativamente mais baixo do que nos destinos mais procurados.

Universidades na Ásia: os melhores destinos

Japão

Localização: Ásia Oriental
População: 127.433.494
Moeda local: Iene (¥)
Melhor universidade do país: University of Tokyo*

A cultura e a educação japonesas são admiráveis. As universidades japonesas já formaram 25 vencedores do Prêmio Nobel e têm grande forte na tecnologia. Recentemente, a capital Tóquio foi eleita a terceira melhor cidade universitária do mundo pelo The Telegraph.

O valor de uma graduação no Japão varia de acordo com a instituição. A média anual em universidades nacionais é de ¥ 817.800, incluindo taxa de matrícula, o que equivale a aproximadamente R$ 22.677,59; já em universidades públicas, a média sobre para ¥ 935.578, ou R$ 25.943,58 – um valor muito menor do que em instituições norte-americanas e britânicas, por exemplo. A média varia de acordo com a área de estudo – medicina e odontologia, por exemplo, são cursos bem mais caros e custam quase sete vezes mais.

Toquio, no Japão.jpg

O processo de seleção é diferente para cada uma das instituições. O primeiro passo ideal seria visitar o site oficial da universidade e encontrar o manual do candidato com todas as informações relevantes. Será necessário prestar o Exame de Admissão Universitária Japonesa para Estudantes Internacionais (EJU) e um Exame de Proficiência em Língua Japonesa (JLPT) – se o seu curso for ministrado em japonês -, ou então o TOEFL, IELTS ou TOEIC se ele for em inglês. No Japão, quase 900 cursos acadêmicos são lecionados na língua inglesa.

O site oficial dos estudos no Japão tem uma cartilha completa sobre todos os passos do processo para ser admitido no país, inclusive com uma versão em português.

Coreia do Sul

Localização: Ásia Oriental
População: 48.636.068
Moeda local: Won (KRW)
Melhor universidade do país: Pohang University of Science and Technology (Postech)

Enquanto o Japão dominou o mundo com a sua cozinha, a Coreia do Sul espalhou por todos os cantos a sua cultura pop. Chamada de K-pop ou KPOP (abreviação para Korean pop), ela se trata não só de um gênero musical surgido na Coreia do Sul, misturando pop, dance, R&B e hip hop, como também de um estilo colorido, cheios de elementos visuais, coreografias, cabelos, maquiagens, roupas e muito mais. Além da cultura, o que se destaca no país é a educação, que é levada com extrema importância e rigidez, considerado o principal motivador do sucesso nacional e a mais alta prioridade do governo.

O Study in Korea é o site oficial do governo sul-coreano para os estrangeiros interessados em estudar no país. Para se inscrever em um curso acadêmico na Coreia, o primeiro passo também é visitar a página oficial da universidade e verificar os requisitos de admissão e todos os documentos obrigatórios. O processo é feito diretamente pelas instituições. Normalmente, o candidato deverá providenciar um formulário de inscrição totalmente preenchido, uma redação de apresentação e planos de estudos, histórico escolar/acadêmico, prova de proficiência no coreano ou no inglês, portfólio (para cursos de artes e educação física), provas de estabilidade financeira, entre outros documentos. E, na Coreia do Sul, 30% de todos os seus cursos acadêmicos são oferecidos na língua inglesa.

Assim como nos demais países, a área de estudo influenciará o valor da graduação. Nas áreas de humanas, a média semestral é de R$ 5.323,21 a R$ 23.171,62; já a de medicina custa, por semestre, de R$ 13.464,59 a R$ 33.818,04.

China

Localização: Ásia Oriental
População: 1.338.612.968
Moeda local: Yuan Renminbi (RMB¥)
Melhor universidade do país: Peking University*

Falar só inglês não é mais suficiente em várias áreas profissionais, e se for para apostar em um segundo idioma estrangeiro que está dominando o mundo empresarial, esta aposta é o chinês. A República Popular da China é o país mais populoso do mundo (quase um quinto de toda a população do planeta) e tem a segunda maior economia global. Consequentemente, o chinês é o idioma com o maior número de falantes nativos da Terra. Com uma cultura milenar e um território de 9.600.000 km², o terceiro maior entre todos os países, a China tem infinitas oportunidades a oferecer.

China-um-dos-melhores-países-para-fazer-uma-faculdade-na-Ásia.jpg

O país, inclusive, lançou um plano para melhorar o seu setor de educação internacional e atrair mais estudantes estrangeiros até 2020. Para isso, ele pretende firmar mais parcerias com universidades globais e fortalecer a imagem do país como um destino de estudo em potencial – principalmente para os países do grupo BRICS, que inclui o Brasil. Ou seja, se a sua vontade é estudar na China, o período é ideal.

Uma graduação na China terá preços diferentes de acordo com a área de estudo. Segundo o site Study in China, um bacharelado em áreas das artes ministrado em chinês custará entre R$ 5.314,20 e R$ 10.003,20 anuais; já um nas áreas de ciência, tecnologia, agricultura, medicina e esportes custará, por ano, entre R$ 5.626,80 e R$ 20.000,00.

Cada curso acadêmico oferecido por universidades chinesas tem requisitos de admissão diferentes. Antes de se inscrever, é essencial ler todas as informações disponibilizadas pela própria instituição e certificar-se de que você se encaixa no perfil exigido. Basicamente, as regras gerais para graduação são: ter formação no ensino médio, não possuir antecedentes criminais, estar em boa saúde, ter mais de 18 anos e ter um passaporte estrangeiro. Se o seu curso for ministrado em mandarim, será necessário atingir o nível três no Teste de Proficiência no Chinês (HSK) ou em algum teste específico da sua universidade. Candidatos a um dos mais de 1.800 cursos lecionados em inglês na China devem prestar o TOEFL ou o IELTS.

 

*Segundo o Asia University Ranking 2016 da Times Higher Education

**Hotcourses Brasil é um portal com dicas para ajudar o estudante brasileiro a encontrar a instituição, escola, faculdade ou universidade internacional na qual ele deseja estudar.

STB

STB

Fundado em 1971, o STB Student Travel Bureau é líder no segmento de educação internacional no Brasil, oferecendo as opções certas para cada fase da sua vida. Quem você quer ser? Conte-nos onde quer chegar e nós traçamos o caminho.

Deixe um comentário

BUSCAR RESULTADOS PARA: