Essa tal de Homesick…

Published

on

 

Para quem não sabe, homesick é o nome dado àquela saudade infinita que os intercambistas sentem de casa, aquela choradeira, aquele vazio por dentro que não pode ser preenchido por ninguém, mesmo no meio de tanta diversão. É a doença da saudade, falando de um modo bem piegas!

Dentre todos os tipos de intercambistas, as Au Pairs são conhecidas pelo tamanho da homesick que sentem, pois 99% dos intercambistas inscritos no programa Au Pair são mulheres, que são mais sensíveis e choronas, e acabam passando por situações mais difíceis do que aqueles que estão apenas viajando e estudando mundo afora.

As Au Pairs não vêm para os Estados Unidos para passar férias e nem para fazer um curso de inglês. Elas vêm pra cá procurando crescimento pessoal, uma experiência nova (e nada fácil), além de viajar bastante, fazer amigos e melhorar o inglês, é claro!

Estou aqui nos Estados Unidos há pouco mais de 3 semanas e a homesick me pegou mais cedo do que eu imaginava. Me peguei chorando no travesseiro, procurando minha irmã no Skype para contar os ‘babados’, enviando e-mails gigantes para amigos e dormindo cedo para ver se passava. Tudo isso é muito normal, mas temos que ter a consciência de que vai passar e de que as coisas só tendem a melhorar! A saudade vai aumentar, mas você vai acostumando… vai fazer mais amizades, vai conhecer lugares diferentes, vai se apegar mais às crianças e vai adquirir hábitos que nunca imaginou ter no Brasil e que sabe que quando voltar pra casa sentirá falta também!

Durante o processo de inscrição no programa, quando você ainda está conversando com as famílias americanas, umas das primeiras perguntas que elas te fazem é como você lida com essa tal de homesick, se já ficou muito tempo sozinho longe de casa e como pretende aproveitar seu tempo livre. Acreditem… essas são perguntas de extrema importância, pois a saudade que sentimos quando chegamos aqui é algo desconhecido até então.

Costumo dizer que os sentimentos mudam muito e ficam mais intensos… tanto pro lado bom quanto pro lado ruim! E chego até a comparar com aquelas pessoas do Big Brother que se amam e se odeiam em apenas 1 semana de convivência na casa! Então, esteja preparado. Quer dizer, preparado ninguém nunca vai estar, pois como eu disse, os sentimentos são sempre novos aqui, mas esteja preparado para o pior… o que vier de bom é lucro 🙂

As dicas que eu dou e que considero de extrema importância para quem está realmente interessada em vir para os Estados Unidos como Au Pair são: Primeramente, não se iluda e prepare-se o máximo possível, principalmente estudando inglês e psicologicamente. Não venha somente pelo ‘custo-benefício’ e sim para passar por uma experiência que será válida por toda a sua vida. E a outra dica e MAIS IMPORTANTE: não tenha pressa de fechar um match com qualquer host family. Converse muito, pergunte tudo e tenha certeza de que você dará conta do trabalho, da rotina e dos benefícios que disponibilizarão para você (como carro, celular, horário para chegar em casa, folgas etc).

Minha host family e eu 😛

Durante o tempo que você estará aqui, sua host family será a coisa mais importante, principalmente no início, quando você não tem muitos amigos e não conhece a cidade. Tudo fica MUITO mais fácil se seus host parents são legais (como os meus!!!) e se suas crianças são legais (como todas as minhas quatro são!!!).

Você morará com uma nova família e eles podem ser as melhores pessoas do mundo, mas ainda não são a SUA família. Mesmo assim, serão tudo o que você terá aqui… e estarão com você todos os dias. Eu tive meus momentos de homesick, mas quando descia as escadas e via minhas crianças sorrindo (ou até chorando), pulando e brincando, eu esquecia de tudo o que estava me atormentando. Quando estava em algum momento ruim e meus host parents puxavam uma conversa à toa, mesmo que fosse só um ‘hi’ sorridente, eu ganhava meu dia e novamente acabava esquecendo um pouco a saudade de casa!

Eu tive muita sorte com a minha host family, eles são sensacionais! Mas também não economizei palavras nos e-mails que troquei com minha host mom até o dia de vir para os Estados Unidos. Desde que fechei meu match, tive certeza de que essa seria a família certa pra mim e até agora não me arrependi de nada!

Se quer chorar, chore! Abrace a cômoda, encharque o travesseiro, cante música de fossa no chuveiro… mas lembre-se de que você está passando pela melhor e maior experiência da sua vida… e não desista!!! 🙂

Abraço forte de amiga na minha festa de despedida, ainda no Brasil! Beijo, Tati :*

Beijos chorosos para todos no Brasil! Tô morrendo de saudade do meu lindo país, mas tenho muito para conhecer aqui ainda… 😉

Continue Reading
Click to comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2019 - STB - Todos os direitos reservados