Feirinhas de rua pelo mundo

Quem nunca se embrenhou pelas feirinhas a céu aberto mundo afora que atire o primeiro souvenir. Até porque é uma delícia ver o que cada mercado de rua tem a oferecer – de roupas a objetos second hand ou handmade e, claro, produtos típicos que a gente só encontra ali. Mas vale reforçar que garimpar é preciso, afinal o que tem de quinquilharias à venda nas tendas e esquinas… Portanto, olho clínico, paciência e intuição fashion antes de abrir a carteira! A seguir, seis street markets para você se perder até encontrar aquilo que nunca precisou, mas que sempre quis ter.

Mercado de Chiang Mai, Tailândia

Por que: É mais cool e bem menos óbvio que o Night Bazaar, onde estão os turistas. As opções são menos ‘pasteurizadas’ e com sorte você encontrará peças e objetos antigos e feitos em mínima escala.

O que comprar: As camisas de gaze de algodão e as capas para almofadas em seda crua.

Vendedora de rua na Tailândia

Metrcado de rua de Chiang Mai

Mercado de Chiang Mai

Old Spitalfields Market, Londres

Por que: Afinal de contas o hype ainda impera no East End. Até quando? Não sabemos, mas a feirinha de Spitafields é O sucesso. Vá as sextas-feiras, quando o ‘estoque’ é renovado.

O que comprar: Peças-chave que definem o ótimo street style londrino: cintos de couro, cachecóis, bolsas de segunda mão trazidas de longas viagens ou lançadas há mil coleções.

Mercado de rua de Londres

Mulher provando roupa em mercado de Londres

Feira de San Telmo, Buenos Aires

Por que: Para quem tem saco de percorrer todas as lojas de antiques a recompensa é enorme: relíquias a preço de banana e achados de todos os estilos possíveis…

O que comprar: Chandeliers de cristal, prataria, vasos chineses e itens de colecionismo.

Mercado de San Telmo

Mulher em loja na feira de San Telmo

Souk, Marrakech

Por que: Bem, porque estamos em Marrakech e não tem programa melhor na cidade. As tendinhas e portinhas da Medina vendem sonhos de mil e uma noites, de seda a couro, bronze e antiques. Tem que pechinchar, você bem sabe.

O que comprar: Lanternas e objetos de metal, tecidos brocados, peças de couro, antiques…

Lustres em mercado de Marrakech

Loja em mercado de Marrakech

Mercado de rua de Marrakech

 

Waterlooplein, Amsterdam

Por que: Referência nacional de second hand no país que é referência internacional em second hand. Sim, holandeses amam comprar de segunda mão e são exigentes com a qualidade e o estado de conservação das roupas e objetos. Vai daí que nenhuma outra cidade do mundo tem tantas lojinhas e feirinhas vintage como Amsterdam. A de Waterlooplein, além de ser a mais antiga, é a melhor delas.

O que comprar: Livros, miniaturas, produtos handmade da Indonésia, roupas second hand e utensílios para smokers.

Mercado de rua de Amsterdã

Sapatos em mercado de Amsterdã

 

Tripbox STB

Tripbox STB

O Tripbox é um app de viagem criado pelo STB para viajantes, com organizador de compromissos, porta-documentos e dicas insiders das principais cidades do mundo. O aplicativo conta com uma equipe de jornalistas curiosos, nerds, inquietos e apaixonados por viagem que trabalha intensamente para oferecer o melhor aos viajantes. Quer saber mais? Baixe o aplicativo na App Store ou no Google Play. É grátis ;)

Deixe uma resposta

BUSCAR RESULTADOS PARA: