a-melhor-experiencia-de-viagem-970x300_semtxt.jpg

Planejar uma viagem é simples, o extraordinário é construir experiências!

rauuuuul.jpg

Baseball nos EUA: Phillies x Braves

Finalmente fui ao meu primeiro jogo de beisebol aqui nos Estados Unidos! Estamos no meio da temporada do esporte aqui, que dura o verão inteiro e só acaba em setembro, e eu estava morrendo de medo de não conseguir ingresso pra algum jogo. O site oficial do Phillies, o time de beisebol aqui da região da Filadélfia, já está anunciando "sold out" (esgotado) para quase todos os jogos! Graças ao pai da minha host mom, é fã número 1 do Phillies, descobri o StubHub, o melhor site do mundo para comprar ingressos em cima da hora! Consegui três para ir com a Raquel e com a Denise, parceiras de sempre!

Eu já havia ouvido falar que qualquer área do estádio é boa e eu não precisaria comprar um ingresso mais caro para ter boa visão da tela. Dito e feito. Comprei o mais barato e sentei num lugar bom... sombra, água fresca e visão geral do campo. O preço do meu ingresso ficou 43 dólares com taxas inclusas. Achei carinho, até... mas ninguém mandou querer comprar em cima da hora! :P

Visão do meu assento. Nada mal, né?

No meu aniversário, ganhei dos pais da minha host uma camiseta bem legal do Phillies! Minhas amigas também compraram as delas, pois aqui ninguém deixa de ir uniformizado a um jogo de baseball. Aliás, as pessoas usam uniforme completo do Phillies em qualquer lugar. Eu duvido que você saia na rua por 20 minutos e não veja pelo menos 5 pessoas com um boné, camiseta ou adesivos gigantes no carro... e nem precisa ser dia de jogo pra isso!

Eu, Raquel e Denise uniformizadas em frente ao estádio!

Chegamos com 2 horas de antecedência ao complexo esportivo da Filadélfia, onde além do estádio do Phillies também ficam os estádios do Eagles (time de futebol americano) e do Flyers (hóquei no gelo), paramos o carro no estacionamento (15 dólares!) e seguimos o fluxo para a entrada. Colocando os pés dentro do estádio, já me impressionei. Parecia um parque de diversão! Tudo muito lindo, cheio de atrações, de lojinhas legais, de entretenimento para as crianças e de coisas para comer, é claro. Muita gente bonita e muito bem uniformizada! Muitas famílias e turma de amigos compartilhando da mesma paixão. Sensacional.

Hora de começar a procurar nossos assentos: seção 430... láááá em cima, no Terrace Deck. Ok. Como chegamos lá? ESCADA ROLANTE! Juro!!! Só de olhar pra cima, me dava uma preguiça monstra... mas quando vi a escada rolante não acreditei. Como assim, gente!? É muita modernidade! Aproveitamos para comprar comidas no estilão americano: hot dogs, peanuts (amendoins) e Coca-cola!

Olha a escada rolante aí!!!

Peanuts, hot dog and coke! A coca-cola era mais barata que uma garrafinha de água... assim não dá, né?

Mostramos nossos tickets para o pessoal do staff e um senhor muito simpático pediu para que o acompanhássemos, já dizendo que pegamos um lugar muito bom, pois o sol se põe atrás da nossa "arquibancada", portanto seríamos umas das únicas pessoas a ficar o jogo inteiro na sombra. Ufa. Depois de mostrar nossos assentos, o senhorzinho limpou com um spray e um paninho todos os nossos bancos e encostos!!! Tive que tirar foto disso, minha gente. Magnífico. E ele fez isso para cada pessoa que passava, não só porque éramos meninas e estávamos de shorts brancos!!! Fiquei impressionada e foi inevitável não fazer uma comparação imediata com os estádios de futebol no Brasil :P

Tiozinho limpando nossos bancos!

Eu confesso que não entendo NADA das regras de baseball. Eu até pensei que entendia, mas quando olhava para o telão e via aquele monte de letras e números mudando toda hora e eu sem saber porquê, me dei conta que não entendo nada mesmo. Quando eu achava que o rebatedor tinha mandado MUITO BEM na tacada e vibrava, olhava por lado e a torcida tava com uma cara feia meio que dizendo: "Ah, não meu! Não acredito que ele fez isso!!!" Aí eu desencanava e fingia manjar muito. Só vibrava quando alguém do lado vibrava primeiro.

Não posso deixar de contar o fora que nós demos: Há dois jogadores no time do Phillies que provavelmente têm descendência latina: Raul Ibañez e Carlos Ruiz. E toda hora que esses dois entravam em campo, a torcida fazia UUUUUUUUUHHHHHHHHHHHH! UUUUUUUH! E eu ficava morrendo de dó dos moços. Imagina seu próprio time te vaiar toda hora que você entra no campo?! Aí já achamos que era preconceito porque eles eram latinos e tal... Não que eu saiba muito de beisebol, como já comentei acima, mas os caras pareciam ser bons!!! Pelo menos esse Raul Ibañez aí. Ele pegava umas bolas animais, rebatia bem... e toda hora o povo no UUUUUUUUH. Eu fiquei péssima pelo cara. Até que mais pro final do jogo, resolvemos perguntar pra um casal na nossa frente QUALÉ desse Ibañez e do Ruiz e porque fazem UUUH toda hora pra eles. Aí o cara: "É porque o nome dele é RaUUUUl, então sempre que ele entra em campo, a torcida vibra falando RaUUUUUULLL! Tem até camisetas vendendo por aí com isso! E o Ruiz é porque é RUUUUUUUiz, então todo mundo chama ele de RU quando entra em campo!" HAHAHAHAHA! Eu comecei a passar mal de rir e depois perguntei se eles são bons jogadores... o cara me responde: "Sim! São ótimos!!! "Ou seja... não estavam vaiando os pobrezinhos, estavam vibrando. Vai entender esse país... :P

Não achei o jogo nada entediante como dizem por aí. Tá, não é a mesma alegria, farra e vibração como nos nossos jogos de futebol, mas é diferente. Só diferente. E muito mais civilizado!

A torcida do time adversário, Atlanta Braves, se misturava com a do Phillies, que ganhou de 14 a 1, um placar sensacional. E sabe o que o pessoal do Phillies gritava para o do Atlanta? "DRIVE HOME SAFELY, BRAVES"! (Dirija sem segurança para casa, Braves!). Bonitinho, né? Estou meio que acostumada a ouvir palavrões e xingamentos para a torcida adversária, sem contar com as brigas... gostei.

E pra variar, muito patriotismo durante o jogo, assim como qualquer evento nesse país. Nos intervalos dos "innings", ouvimos o hino nacional dos Estados Unidos cantado por um coral, brincadeiras entre o mascote do time e os técnicos e um cantor cantando God Bless America que foi de arrepiar. Não porque ele cantava bem, mas por ver todo mundo acompanhando e demonstrando de um jeito inimaginável seu amor pelos Estados Unidos. Experiência única! :) Minha amiga Raquel fez um vídeo, vejam:

Não vou me atrever a incluir uma explicação sobre regras de baseball neste post, mas deixo um link aqui onde tenho estudado um pouquinho, caso vocês tenham interesse: Guia do iniciante nas regras de beisebol. Só digo uma coisa: não é só tacar a bola, rebater e correr para as almofadinhas. É MUITO, mas MUITO mais que isso!!!

Raquel e Eu esperando o jogo começar! Estádio ainda vazio...

É isso, gente! Até o próximo post! :*

Beatriz Morgado

Beatriz Morgado

Sempre em busca de uma experiência inesquecível, Beatriz, estudante de publicidade e propaganda, resolveu embarcar para os Estados Unidos para ser Au Pair! Acompanhe como ela encara uma rotina cuidando das crianças no estado da Pensilvânia e ainda arruma tempo para estudar francês!

Deixe uma resposta

BUSCAR RESULTADOS PARA: