a-melhor-experiencia-de-viagem-970x300_semtxt.jpg

Planejar uma viagem é simples, o extraordinário é construir experiências!

Road trip Califórnia - Parte 2: Phoenix, Sedona e Grand Canyon

Continuando a super viagem pela Costa Oeste dos Estados Unidos no tour Road Trip Califórnia, fomos de San Diego direto para Phoenix em uma viagem que durou quase que o dia inteiro.

Dia 3: Phoenix

Durante a viagem, pudemos conhecer os outros viajantes melhor por meio de games e todos mostraram seus interesses e o que esperavam da viagem. Além das conversas nos ônibus, treinando bastante o inglês, algo bacana são os filmes colocados na televisão do busão durante a viagem. São sempre filmes relacionados com as áreas que estamos visitando. E como havíamos acabado de deixar a cidade de San Diego, nada melhor para assistir do que a comédia "O Âncora", sobre o âncora de um noticiário da cidade, interpretado por Will Ferrell.

Chegando em Phoenix (Arizona), fomos para o hotel curtir a piscina já que o clima da cidade é sufocante. Estava fazendo 46º, acreditam?!? O engraçado é que por eu ser do Brasil, todos achavam que eu estava acostumada com esse tipo de clima. Mas obviamente não, e obviamente parecia que você tinha sido colocado dentro de um forno quente.

Baunilha em Chase Field, campo de baseball de Phoenix

Nos reunimos logo após a piscina no lobby do hotel e fomos para o Chase Field, o campo de baseball de Phoenix, assistir a uma partida bem americana dos D-Backs (o time de Phoenix) contra os Astros (time de baseball de Houston). Ah, o Chase Field é um campo com teto retrátil com capacidade para 49.000 torcedores. Adoro jogos de baseball. Nem tanto pelo jogo em si, mas por todo o evento que cerca um jogo. É muito divertido.

Dia 4: Sedona e o Grand Canyon

Partimos de manhãzinha para Sedona, ainda no Arizona. Uma cidadezinha totalmente turística, daquelas que as únicas lojas da cidade são lojas de souvenirs. Ótimo para comprar umas lembranças e tirar fotos da bela paisagem. Algo incrível nessas viagens de ônibus é que você vai notando a brusca mudança na vegetação. São tantos cenários diferentes que nem parece a mesma região.

Vegetação de Sedona, Arizona
Sedona é uma cidade bem ao estilo Velho Oeste, que parece que parou no tempo. Ela fica bem no caminho para o Grand Canyon e é um ótimo ponto de parada. O pessoal do tour foi fazer um passeio de jipe pelas chamadas "Red Rocks", enquanto eu fiquei curtindo os shoppings a céu aberto do vilarejo.

Sedona, cidade ao estilo do velho oeste

Esculturas do velho oeste
Saindo de Sedona logo após o almoço, fomos para o tão esperado Grand Canyon, mas não antes de parar para assistir a um documentário no I-MAX Theater do National Geographic Channel. O cinema fica um pouco antes da entrada do Grand Canyon, já na cidade de Tusayan, no Arizona. O cinema custa $11 e conta a história do Grand Canyon, seus primeiros habitantes e desbravadores.

Cinema I-Max onde o grupo de viajantes assistiu a História do Grand Canyon
Seguimos para o.... tan tan tan tan... GRAND CANYON! E pudemos dar uma olhadinha no incrível buraco natural, que te faz ficar sem palavras, antes de nos alojarmos nas "cabanas" dentro da reserva natural. Isso mesmo, nosso hotel era dentro do parque, algo totalmente incrível. E o mais legal era seu estilo rústico, que fez me lembrar do Black Lodge, o hotel de Twin Peaks. Aliás o nome do hotel era quase isso, Hotel Maswik Lodge!


Jantamos no hotel em uma refeição que estava incluída no pacote, ficamos um pouco ali pelo bar comentando o incrível dia que tivemos e fomos para a cama, porque o dia seguinte seria mais incrível ainda.

Dia 5: Grand Canyon

Ok, odeio acordar cedo. Ainda mais MUITO cedo. Mas dessa vez foi por uma causa MARAVILHOSA: passeio de helicóptero pelo Grand Canyon. Era a minha primeira vez no Grand Canyon, e também a primeira vez que eu andei de helicóptero, então uma recordação que ficará marcada para sempre.

Baunilha passeando de helicóptero pelo Grand Canyon

Vista do Grand CanyonO passeio é caro, não vou negar. Escolhi o mais barato que eram 30 minutos sobrevoando o Canyon e paguei $149. Parece tempo suficiente, mas quando se leva em conta que os helicópteros não estão tão perto assim do vale e que perde-se uns 10 minutos indo e vindo sob as árvores, sim... passa muito rápido. Mas de qualquer momento vale a pena pela lembrança. É algo tão, tão bonito e gigantesco que não parece real.

De volta à reserva, ainda não era nem hora do almoço. Então, com uns amigos da Bélgica e Alemanha, passamos no mercadinho, compramos alguns sanduíches, frutas e muita água e fomos fazer hiking, palavra chique para trilha. O parque do Grand Canyon oferece diversas opções diferentes para hiking: fácil, moderado, avançado. Peguei a trilha "moderada" chamada Bright Angel Trail, uma trilha vertical.

Sugestões de trilhas no Grand Canyon

"Moderada" entre aspas porque depende até onde você desce. Nós, completamente nos esquecemos que teríamos que subir novamente, do contrário teríamos que fundar uma nova vila no meio do caminho e morar por ali para sempre (que depois de alguns minutos de subida, não parecia uma má ideia). Resultado: descemos 3 milhas - e por consequência subimos 3 também - e levamos... 5 horas e meia!!!! No Sol quente!!! Cheguei cansada demais, mas totalmente orgulhosa.


Depois dessa aventura, tudo o que eu queria era um banho quente e cama. Mas não antes de esperar pelo pôr-do-Sol no Hopi Point, lugar ideal de se ver no Grand Canyon.

E a viagem....CONTINUA.... no próximo post.

Não deixe de ler a parte 1 Aqui! "Chegada em Los Angeles e San Diego".

Bruna Calheiros

Bruna Calheiros

Paulista e blogueira, Baunilha é publicitária e apaixonada por games, seriados, HQ, cinema, design e arte. Com projetos promissores e vontade de aproveitar tudo o que o mundo tem para oferecer, ela está estudando em NY e você pode conferir os textos repletos de dicas e detalhes sobre a cultura norte-americana que a @baunilha prepara especialmente para vocês!

Deixe uma resposta

BUSCAR RESULTADOS PARA: