a-melhor-experiencia-de-viagem-970x300_semtxt.jpg

Planejar uma viagem é simples, o extraordinário é construir experiências!

cinco-mayo.jpg

No dia Cinco de Maio todo mundo é latino!

Voltei apaixonada por Washington DC da primeira vez que visitei a cidade. Me apaixonei tanto que resolvi voltar para mais um fim de semana de diversão e cultura!

Para quem não acompanhou os posts anteriores, veja esse aqui sobre o Instituto Smithsonian, sobre o museu do Holocausto e também sobre o Museu de História Natural!

Fizemos o mesmo esquema da outra vez: saímos da Philadelphia na sexta à noite e voltamos domingo no final da tarde, só que dessa vez a aventura foi um pouco maior: a Kainara olhou os horários do nosso trem do subúrbio para Philly totalmente errados, aí acabamos perdendo o trem e, consequentemente, o ônibus de lá pra DC! Nos sentimos as pessoas mais patéticas do mundo, mas no final, como sempre, deu tudo certo! Conseguimos pegar um ônibus mais tarde (chegamos em DC quase 1 da manhã!), pois não havia lotado, mas pagamos uma multa de atraso de 5 dólares cada uma... fuén, fuén, fuén, fuéééén... Mas ok, né? O importante é chegar!

No sábado, acordamos cedo para explorar a cidade e depois para encontrar a diretora de área da Rafa, nossa amiga que mora em DC, para o meeting mensal da Au Pair Care, que seria num “festival mexicano”.

Na verdade, pulamos a parte do “explorar a cidade”, pois resolvemos passear de carro em vez de pegar o metrô-maravilha que a cidade oferece e acabamos perdendo a manhã inteira procurando vaga para estacionar =( Fica aí a dica... JAMAIS ande de carro em Washington ou qualquer outra cidade americana que ofereça transporte público decente! Nos arrependemos muito e ficamos nos perguntando por que raios não pegamos o metrô, que é lindo, limpo, barato e fácil de entender!?!?!?! Gastamos uma pequena fortuna de estacionamento, pois vaga na rua é luxo, gente! Vivendo e aprendendo, né?

Mas o ponto alto desse post é: o tal do festival mexicano, o Cinco de Mayo Festival.

Dia 5 de maio é um feriado do México (reconhecido oficialmente apenas no estado de Puebla), mas que também é quase americano, devido à grande quantidade de mexicanos que vivem no país! Praticamente 100% das grandes cidades nos Estados Unidos (como New York, Philadelphia e Washington) abriga uma população imensa de mexicanos e pessoas de diversas partes da América Latina.

Neste dia, os mexicanos (e quem estiver por perto) celebram o orgulho da liberdade mexicana, a conquista da democracia e a resistência do exército à ocupação francesa durante os primeiros anos da Guerra Civil Americana. A história não para por aí, mas não quero fazer desse post uma enciclopédia e sim compartilhar um pouco da experiência muito legal que eu tive graças a essa data!

As festas realizadas no dia 5 de Mayo são MUITO famosas nos Estados Unidos, principalmente porque elas acabam colocando em evidência a cultura de toda a América Latina, não apenas do México. Eu sou brasileira e também tenho sangue latino, tive que conferir o que é que esse festival tinha de bom pra gente!

Arrastamos uma Au Pair inglesa para a muvuca e logo de cara paramos para assistir algumas danças folclóricas num palco enorme. Me lembraram muito as festas de São João do Brasil. De repente começou a chover e resolvemos nos esconder embaixo de umas tendas que organizaram dezenas de atividades para crianças com relação à cultura latina, como imagens de colorir com roupas típicas, tranças de barbante, pintura no rosto e coisas do tipo!

Do lado de fora, vimos várias pessoas vestidas com roupas folclóricas se preparando para outras apresentações de dança ao ar livre. Do lado disso, vários cavalos e pôneis entretendo as crianças no evento!

O ponto alto do festival foi a Zumba! Para quem não sabe, Zumba é um tipo de dança criada por um coreógrafo colombiano que tem batidas eletrônicas misturadas com músicas latinas! A Zumba é extremamente popular nas academias de ginástica americanas e suas coreografias são sempre puxadas para o “fitness”! Uma beleza nas aulas aeróbicas! Eu mesma já fiz e é uma delícia, mas haja coordenação!

Enfim, no festival encontramos um pessoal chamando um monte de gente para participar de um mutirão com o objetivo de bater um recorde e entrar para o Guinness Book: o maior número de pessoas dançando Zumba ao mesmo tempo! Hahahaha! Na hora achei engraçado e meio absurdo, pois se não me engano, eles queriam juntar 3 mil pessoas! Já que estávamos lá, resolvemos entrar na dança... literalmente.

Tivemos até que fazer inscrição! Pois é! Para cada pessoa cadastrada, eles davam um número que devia ser pregado na roupa e uma pulseirinha sei lá pra que. Eu chequei se estavam dando os números na ordem e sim, estavam! Eu fui o 74, logo no começo, mas depois cheguei a ver até o número 600. Se eles juntaram 3 mil ou não, jamais saberei. Talvez ele queria juntar apenas 300 e eu ouvi 3000, sei lá.

Na verdade, pouco me interessa se entramos ou não para o Guinness Book, o legal mesmo foi participar da festa e queimar umas calorias! Havia gente de TODO TIPO dançando e morrendo de se divertir!!! A música era muito legal. Minha amiga Kainara, que já faz Zumba na academia há algum tempo, tava se achando na aula dela, gente. A menina se sacodia inteira!

Estava estampado na testa das pessoas quem era latino e quem não era. A inglesa que estava com a gente parecia um cão em dia de mudança enquanto nós, com nosso sangue brasileiro cheio de carnaval rolando, nos divertíamos como se estivessmos no nosso próprio país! Foi muito engraçado!

As mexicanas, colombianas, venezuelanas e bolivianos ao nosso redor eram puro sucesso. As estadunidenses faziam o melhor que podiam tentando lembrar o que aprenderam na academia! Foi muito legal!

O slogan do Festival era: “Cinco de Mayo: Everybody is latino”! Depois eu entendi porquê. A animação é tanta que nem o mais europeu do mundo consegue ficar parado!

Ah, e o pessoal do palco falava metade espanhol e metade inglês. A sensação de entender as duas línguas é muito legal!

Bom, está aí o relato de mais uma experiência bem diferente proporcionada pelo meu intercâmbio! Com certeza esse tipo de festa eu só veria aqui nos EUA ou numa viagem para o México na data certa!

Espero que tenham gostado!

Beijão!

Beatriz Morgado

Beatriz Morgado

Sempre em busca de uma experiência inesquecível, Beatriz, estudante de publicidade e propaganda, resolveu embarcar para os Estados Unidos para ser Au Pair! Acompanhe como ela encara uma rotina cuidando das crianças no estado da Pensilvânia e ainda arruma tempo para estudar francês!

Deixe uma resposta

BUSCAR RESULTADOS PARA: