balsa-gaivota-580x378.jpg

Fim de semana na Holanda: conheci Amsterdam!

No final do ano passado, viajei com o meu namorado para a Holanda. Ele mora em uma cidadezinha bem pequena chamada Borne, que fica a duas horas de Amsterdam. Saímos às 3h da tarde de Londres e chegamos lá por volta das 2h da manhã do sábado. Pois é, foi uma looonga viagem. Fizemos a viagem de carro, então tivemos que pegar uma balsa até a França, passar pela Bélgica e finalmente chegar na Holanda. A viagem normalmente dura em média 7 horas, mas quando estávamos passando pela Bélgica nos perdemos nas estradas e ficávamos indo e voltando. Foi bem cansativo e logo que chegamos na Holanda ele comprou um GPS para usar na viagem de volta, hahaha.


As ruas de Borne são lindas. Todas limpas, certinhas, com sinalização perfeita e casas arrumadinhas. Dá muito pra perceber a diferença da arquitetura entre Holanda e Londres, adorei ter a experiência de ir em uma cidade menor e nada turística nessa viagem. As casas no estilo holandês tem o telhado bem triangular e grande, com jardins bem cuidados e bonitos. Como a cidade era pequena, tive a impressão de estar em um condomínio fechado, de tão bonito e organizado que era!

No sábado, ele me levou para comer carpaccio num bar/restaurante chamado De Twee Wezen, super lindo e delicioso. Deu um pouco de agonia porque lá as pessoas falam holandês e é muito difícil de entender. Na verdade, eu não entendia nada e ele teve que me ajudar a escolher o que eu queria no cardápio. Por sorte, as pessoas normalmente conseguem se comunicar em inglês, mas as placas da cidade, revistas, cardápios e tudo, são todos escritos em holandês.

No domingo, tomamos um café da manhã típico da Alemanha, pois a mãe dele é alemã e a cidade fica pertinho da divisa da Holanda com a Alemanha. Aliás, os pais dele moram na Alemanha e ele mora na Holanda, e demora apenas 25 minutos de carro entre uma casa e outra. Depois do café da manhã, arrumamos minha mochila e fomos finalmente conhecer Amsterdam, que era uma das cidades que estavam na minha "to do list" da Europa.

Chegando em Amsterdam, encontrei um amigo meu que mora lá há um ano e ele nos levou para um pub super gostoso, que ele sempre vai com os amigos. As primeiras impressões de Amsterdam foram muito boas: é uma cidade linda, e você tem vontade de tirar foto de cada cantinho que olha. Os canais no meio da cidade, os trens que passam no meio da rua como se fossem ônibus... E a gente deu uma baita sorte porque estava um tempo lindo. Céu azul, solzão... O que não é nada comum nessa época do ano na Holanda. Apesar do tempo lindo, estava muito mais frio do que em Londres. Durante o dia fazia uns 13 graus e a noite caía pra 5º. Foi bom porque já comecei a sentir como vai ser o inverno em Londres!

O nome do pub que fomos é De Zotte, que em português significa "O Louco". Apesar de meio carinho, é muito lindo e gostoso pois eles tem vários tipos de cervejas diferentes e nós experimentamos uma artesanal, tipica da Bélgica, maravilhosa! Normalmente eu não gosto de cervejas artesanais mas essa era super suave e gostosa de tomar. O pub estava com uma decoração tímida porém fofa de Halloween, e quando eu perguntei ao meu amigo se eles comemoravam o Haloween lá, ele me disse que não comemoram quase nada. De repente, quando estava tirando algumas fotos, apareceu um gatinho branco lindo que andava livremente pelos balcões do pub. Não é a coisa mais fofa?

Quando saímos do pub, já era noite e hora de conhecer uma das maiores atrações de Amsterdam: Red Light District. O caminho até a área foi perfeito e fizemos umas fotos pois os canais são ainda mais bonitos durante a noite. As luzes da cidade refletem na água e é a coisa mais gostosa andar pelas ruazinhas de Amsterdam e observar a arquitetura e as pessoas indo pra lá e pra cá de bicicleta. Aliás, uma das primeiras coisas que reparei quando cheguei em Amsterdam foi que as pessoas andam MUITO de bicicleta. É mais comum ver estacionamentos gigantes para bicicletas do que para carros.

Red Light District [18+]

Andar pelas ruelas iluminadas com luzes vermelhas foi uma experiência incrível. Sou frequentadora assídua da rua Augusta em São Paulo então estou acostumada com esse lado mais lascivo da cidade. Mas em Amsterdam foi diferente, acho que posso dizer que foi uma experiência única. As mulheres, vestidas com biquinis ou roupas provocantes, se colocam a mostra como se estivessem numa vitrine. Enquanto homens, mulheres e casais vão passando, elas fazem graça e charme para serem escolhidas. Como é uma área muito turística, tem muita gente que vai lá para "zuar". Grupos de adolescentes passam em frente as portas de vidro e mexem com elas, debocham um pouco... Acho que foi por isso que em uma porta de um lugar que estava fechado, havia um cartaz falando algo sobre "Workshop de vitrine", onde você aprendia como era estar do outro lado da vitrine para fazer com que as pessoas respeitassem mais a "profissão" delas.

Foto via

É engraçado que por lá a maconha é legalizada e existem vários coffee shops, um a cada esquina. Para nós que somos brasileiros chega a ser meio difícil assimilar que as pessoas não estão fazendo nada de errado quando entram lá para fumar maconha. Eu fui criada com a ideia de que maconha é droga e, além de fazer mal, é proibida. Então é super diferente estar em um país onde ela é liberada e para quem mora lá o simples ato de fumar é totalmente comum e nem deveria ser discutido.

Adorei conhecer Amsterdam e pretendo voltar lá de novo antes de voltar pro Brasil.

E aí, curtiu minha experiência? Deixe um comentário no post! Ah... E me siga no twitter para acompanhar a minha viagem em tempo real: @rebiscoito.

Rebiscoito

Rebiscoito

Paulista, Rebiscoito decidiu embarcar neste intercâmbio para Londres e conta aqui no blog todas as suas experiências e pensamentos diretamente da terra da Rainha. Aqui vocês descobrem como é morar e viver cercada do inglês britânico, em uma cidade onde tudo acontece. Ela divide perrengues, alegrias, descobertas e tudo de novo que encontra por lá.

Deixe uma resposta

BUSCAR RESULTADOS PARA: