AUSTRÁLIA

TRABALHAR E ESTUDAR NO EXTERIOR: ONDE É PERMITIDO

Está pensando em trabalhar no exterior? Confira os países onde é possível conciliar estudo e trabalho

Published

on

Enriquecimento profissional, aperfeiçoamento do inglês, experiência em um ambiente de trabalho real fora do país e interação com a cultura local são apenas algumas das vantagens de realizar um programa de estudo e trabalho no exterior. Não à toa, o número de estudantes que buscam por este tipo de intercâmbio cresce cada vez mais.

VOCÊ PODE GOSTAR: CONHEÇA OS BENEFÍCIOS DE UM INTERCÂMBIO PARA A CARREIRA 

Pensando nisso, separamos as principais informações que você precisa saber sobre os países onde é possível estudar e trabalhar. Confira!

ESTUDAR E TRABALHAR NA AUSTRÁLIA

Salário mínimo por hora na Austrália: AUD 19,49

É preciso estar matriculado em um curso de idiomas com duração mínima de 14 semanas para ter direito a trabalhar na Austrália. Geralmente, os trabalhos por lá são nas áreas de serviços e atendimento. O governo australiano permite que o estudante trabalhe 20 horas semanais durante o período de aulas e 40 horas durante as férias (concedida após 12 semanas de estudos).

VOCÊ PODE GOSTAR: TUDO SOBRE ESTUDO E TRABALHO NA AUSTRÁLIA 

O STB conta com dois escritórios no país, em Sydney  e Melbourne, que promovem constantemente palestras e treinamentos relacionados ao mercado de trabalho, além de orientar e ajudar estudantes na elaboração de currículos e na emissão do Tax File Number.

ESTUDAR E TRABALHAR NO CANADÁ

Salário mínimo por hora no Canadá: CAD 11, 06

Para conseguir a permissão de trabalho no Canadá, o estudante internacional deve matriculado em um curso superior com mais de seis meses de duração. Neste caso, seu visto possibilita 20 horas semanais de trabalho durante o período escolas e 40 horas semanais nas férias.

Outra vantagem do Canadá é que os cônjuges de estudantes matriculados em universidades ou colleges têm autorização para trabalhar por período integral, ou seja, 40 horas semanais, pelo mesmo período da validade do visto do parceiro (a).

SAIBA MAIS: TUDO SOBRE ESTUDO E TRABALHO NO CANADÁ  

ESTUDAR E TRABALHAR NA ESPANHA 

Salário mínimo por mês na Espanha: EURO 1050,00

Estudantes matriculados em cursos intensivos, ou seja, com mais de 20 horas semanais e com duração de a partir 25 semanas têm permissão de trabalho garantida na Espanha. Neste caso, é permitido que trabalhe por 20 horas semanais pelo mesmo período em que estiver matriculado.

VOCÊ PODE GOSTAR: COMO TRABALHAR NA ESPANHA? 

Para trabalhar no país, o estudantes devem ter mais de 18 anos e quanto melhor for o seu espanhol, mais fácil a sua colocação no mercado de trabalho.

E TRABALHAR EM MALTA

Salário mínimo por mês em Malta: EUR 761,97 (período integral de trabalho)

O país permite que estudantes internacionais trabalhem a partir da 13ª semana de curso, após terem o visto de estudante e a permissão de trabalho aprovados. Um diferencial bacana de Malta é que o governo possui um portal que coloca empregadores em contato com estudantes!

Por lá, estudantes podem trabalhar até 20 horas semanais por um período máximo de um ano (sem contar com as 13 primeiras semanas de estudo).  Como em outros países, os cargos de trabalho para estudantes internacionais costumam ser nas áreas de serviços e atendimento.

ESTUDAR E TRABALHAR NA IRLANDA

Salário mínimo por hora na Irlanda: EUR 10,10

Para trabalhar na Irlanda é preciso estar matriculado em um curso de idiomas com, no mínimo, 15 horas semanais e duração de pelo menos 25 semanas.

Como na Austrália, é permitido trabalhar 20 horas por semana durante o período das aulas e por até 40 horas semanais durante as férias. Os trabalhos por lá costumam ser nas áreas de serviços e atendimento de restaurantes, bares e hotéis, e as posições podem variar de acordo com seu nível de inglês, sendo que quanto melhor o inglês maior a chance e se colocar em áreas mais técnicas.

ESTUDAR E TRABALHAR NA NOVA ZELÂNDIA

Salário mínimo por hora na Nova Zelândia: NZD 17,70

Para ter direito de trabalhar na Nova Zelândia, é preciso estar matriculado em uma escola chancelada pela NZQA (New Zealand Qualifications Authority) como de categoria 1. O curso deve ter, no mínimo, 20 lições por semana e pelo menos 14 semanas de duração. Além disso, é necessário embarcar com visto de estudante, que deve ser emitido no Brasil.

A carga horária de trabalho para estudantes no país é de, no máximo, 20 horas semanais durante o período do curso e 40 horas durante as férias. Os cargos costumam ser nas áreas de atendimento e serviço, mas, para estudantes em todos os níveis de graduação e pós-graduação, o trabalho poderá ser na área de interesse (com a possibilidade de não ter remuneração).

ESTUDAR E TRABALHAR NOS ESTADOS UNIDOS

O programa de estágio nos Estados Unidos não é remunerado.

O programa de estudo e trabalho nos Estados Unidos é diferente. Por lá, é possível participar de um programa de estágio não remunerado que acontece obrigatoriamente após a realização  de um curso de inglês no país.

VOCÊ PODE GOSTAR: PRINCIPAIS PROGRAMAS DE TRABALHO NOS EUA 

As vagas podem ser nas áreas de marketing, relações públicas, arquitetura, hospitalidade, moda, tecnologia ou artes, mas vale salientar que as posições oferecidas não são estratégicas.

SAIBA MAIS: TUDO SOBRE CPT E OPT NOS EUA

Para poder estagiar, além de concluir com sucesso um dos cursos oferecidos pelo STB , é preciso ter o visto de estudante. O estágio deve acontecer durante o chamado “Grace Period”, período de 60 dias no qual o estudante pode permanecer nos EUA após o término do curso.

Ficou com alguma dúvida ou quer saber mais sobre algum destes programas? Converse com um de nossos especialistas e comece a programar o seu intercâmbio para 2021!

*salários atualizados em outubro de 2020

Continue Reading
Click to comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *