a-melhor-experiencia-de-viagem-970x300_semtxt.jpg

Planejar uma viagem é simples, o extraordinário é construir experiências!

budapeste00.jpg

A misteriosa Budapeste | Contiki Tour pelo Leste Europeu

A minha curiosidade sobre Budapeste nasceu há anos, quando li o livro de mesmo nome escrito por Chico Buarque. Livro inesquecível e que retrata um romance nessa cidade peculiar, de forma a colocá-la na minha lista de lugares a conhecer. Budapeste foi a última cidade pela qual passamos durante o tour da Contiki "De Berlim à Budapeste" e ficamos apenas dois dias por lá, mas deu para ver bastante coisa.

O tour da Contiki é assim, você não perde tempo. Durante toda viagem, você aproveita ao máximo acordando cedo e visitando o maior número de lugares possíveis. É um tour mais de "scanneamento", você visita as cidades, vê os pontos principais e depois já sabe em quais quer voltar para passar um tempo maior. Budapeste é a capital da Hungria e localiza-se às margens do belíssimo Rio Danúbio. Ela nasceu em 1873 com a fusão de três cidades: Ôbuda e Buda, na margem direita do Danúbio, e Peste, na margem esquerda do rio.

Na primeira atração de Budapeste, o grupo foi ao museu "Casa do Terror" (House of Terror). Depois de tanta tragédia que vi pelos museus de Berlim, resolvi deixar esse passar e com outro grupo de pessoas saímos andando pela cidade para explorá-la da nossa maneira.

Por ter o rio Danúbio dividindo a cidade, Budapeste, além de ser um belíssimo cartão postal, tem diversas pontes que ligam os seus dois lados. Nosso primeiro passo foi conhecer a Ponte Szabadság ("Ponte da Liberdade") e a Ponte Széchenyi Lánchíd ("Ponte das Correntes"), duas das mais famosas da cidade.

Do outro lado da Ponte da Liberdade existem longas escadas que levam a um parque e a Citadella, mas como iríamos visitar essa área no dia seguinte resolvemos subir uma porção das escadas apenas até um mirante para observar a vista e ter uma ideia melhor de Budapeste. O que não imaginávamos era encontrar algo tão peculiar no mirante: uma caverna. Ao olharmos de perto, reparamos que a tal caverna é usada como uma igreja chamada de Sziklatemplom, no lado Buda da cidade.

Cruzando de volta para o lado Peste pela Ponte das Correntes fomos nos reencontrar com o grupo na Rua Váci para jantar, uma rua com diversas lojas de souvenirs e restaurantes super gostosos.

O dia seguinte começou com uma visita ao belíssimo Parlamento (Országház), o maior edifício da Hungria. Para entrar é necessário ter um tour agendado e a visita vale muito a pena. O lugar é lindo e ótimo para boas fotografias. A construção do prédio do Parlamento iniciou em 1885 e toda a arquitetura e design foram escolhidos através de um concurso onde os candidatos submeteram suas plantas e maquetes. Sua inauguração foi em 1896 para comemorar o aniverário de 1000 anos (wow!) da Hungria, porém a conclusão do prédio do Parlamento só aconteceu de verdade em 1904!

Fizemos um tour de ônibus com uma guia local, passando pelos principais pontos turísticos e parques. Ela contou um pouco da história comunista de Budapeste, assim como apontou a disparidade social refletida em cada um dos bairros pelos quais passamos.

Fomos até Citadella, ponto que conta com uma vista estonteante da cidade, onde pudemos tirar fotos e, claro, fazer a foto oficial do tour.

Depois fomos direto para o o Bastião dos Pescadores (Halászbástya), um dos pontos mais magníficos que já vi. O lugar é simplesmente maravilhoso e parece que saiu de um conto de fadas. Todo branco, com escadarias e esculturas espalhadas, museus e fontes. Uma das vistas mais belas e privilegiadas já que é possível observar o magnífico edifício do Parlamento que fica do outro lado do rio.

Um dos pontos mais importantes da cidade é a Praça dos Heróis, uma das últimas paradas do nosso tour. A Praça possui estátuas que representam os fundadores da nação húngara. Ela é situada num dos extremos da Avenida Andrássy.

Assim como a Avenida Andrássy, o Castelo de Buda e as Margens do Danúbio, a Praça dos Heróis é considerada pela UNESCO como um patrimônio da Humanidade.

Com o fim do tour, tivemos a tarde livre para passear por Budapeste e fazer nosso próprio roteiro. Depois do almoço resolvemos conhecer a Basílica de Santo Estêvão, já que é possível subir até o topo da basílica para fazer fotos incríveis e curtir a vista da região de Peste.

Durante a noite, outra surpresa do Contiki nos aguardava: um jantar à bordo de um barco só nosso. Navegamos o Rio Danúbio, comendo do melhor, com vinhos e cervejas, e celebrando toda nossa viagem e as novas amizades que fizemos. Uma viagem inesquecível com um final ainda mais marcante.

Adorei esse tour e super recomendo de coração a todos que têm curiosidade e vontade de conhecer essas magníficas cidades européias. O tour da Contiki que eu fiz foi esse aqui: "De Berlim à Budapeste".

* Leia os outros posts sobre o Tour:

- Berlim - Parte I
- Berlim - Parte II
- Praga - Parte I
- Praga - Parte II
- Viena

Bruna Calheiros

Bruna Calheiros

Paulista e blogueira, Baunilha é publicitária e apaixonada por games, seriados, HQ, cinema, design e arte. Com projetos promissores e vontade de aproveitar tudo o que o mundo tem para oferecer, ela está estudando em NY e você pode conferir os textos repletos de dicas e detalhes sobre a cultura norte-americana que a @baunilha prepara especialmente para vocês!

Deixe uma resposta

BUSCAR RESULTADOS PARA: